domingo, 7 de novembro de 2010

Quando o amor acontece

Triste sofria. O amor resolveu no seu peito arder e sem perceber incendiou com intensa magia todos os seus caminhos errantes com emoção e poesia. Não conseguia mais ver em meio a neblina do querer que sua alma invadia o risco que amar poderia ser para a razão que cruel fazia louca e forte oposição a paixão e a fantasia que explodiam ardentes e ferozes como um vulcão capaz de devastar sem nenhum alarde toda a tranquilidade em que até então permanecia. Mas seguia com toda a coragem, lutando heroicamente contra sua própria covardia, a voz que ouvia do coração que rasgava, sangrava e sentia toda emoção e solidão que seu peito invadiam sem oferecer nenhuma outra opção ou saída que pudesse cicatrizar tão aberta, incerta e publicamente secreta ferida. Não sabia se era o certo mas queria. Sua alma tatuada por um amor sem palavras voava e enlouquecia. Jamais obteria o perdão do seu sonho se fugisse de tudo que a vida lhe oferecia por medo de cometer enganos abraçando a razão ao invés da alegria. No fundo sabia que se não lutasse choraria de arrependimento um oceano e nele se afogaria simplesmente por não conseguir verbalizar o que seus corações desejavam tanto e em seu corpo doía pela falta de se terem nas mãos, de se dar pelo que percebiam e acreditavam mais a cada dia. Uma frase, dois olhares e muitas vontades em dois sonhos que neles mesmos existiam precisavam de realização em suas vidas. Pulsavam de dor e de paixão enquanto não se diziam com a boca o que o coração já sabia e cansava de louco gritar. Eu te amo.

12 comentários:

  1. Você escreve o que gostamos de ouvir... Suas palavras têm sons ...
    Parabéns.
    Théo Iemma

    ResponderExcluir
  2. Foi praticamente a verbalização do que habita minha alma neste momento....vc é sensível e delicada, com um toque de magia e sedução na medida certa. Amei! Bjo! ;*

    ResponderExcluir
  3. Delicioso peoma.
    Parabéns.
    Dani Baruco

    ResponderExcluir
  4. Você escreve muito bem. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Sou suspeito,
    sabe que adoro o que escreve.
    Parabéns pelo sentimento que brota em suas palavras!

    @JorgeMelllo

    ResponderExcluir
  6. Lindo!!
    O coração costuma mandar em mim, assim, bem como escreveste.
    É sempre melhor tentar , mesmo depois quebrando a cara. Eu acho. Pra não se arrepender e chorar o oceano de lágrimas por não ter tentado.
    Beijos poeta!

    ResponderExcluir
  7. "Você escreve o que gostamos de ouvir... Suas palavras têm sons ...
    Parabéns.
    Théo Iemma" E tem mesmo, Théo! Adoro ouvir o blog da Monica http://confessionariourbano.blogspot.com/
    Tks Monica, muito tri!

    ResponderExcluir
  8. Era uma vez...
    Essa e a historia de um coracao. Talves o teu, quem sabe o meu? So sei que o amor arde e chora enquanto nao explode em declaracao. Poema que li com lagrimas de emocao!
    Monica, vou guardar como um dos meus favoritos, se me permite! Beijos por tudo isso de beleza!

    ResponderExcluir
  9. Adorei! muito lindo teu poema, vc está de parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Juro que eu chorei!!!

    Que coisa mais linda... o encontro perfeito, que nenhuma palavra é capaz de traduzir!!

    Parabéns, minha querida! Senti cada palavra em minha alma aqui!

    Beijos pra você!

    ResponderExcluir
  11. Este texto me pareceu uma descrição bem fiel do que senti há tempos atrás. Lindo, lindo.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. o sentimento ñ cabe na palavra, ñ cabe na imagem. Só a poesia tem a mescla de elementos que faz a mediaçäo entre sentir e comunicar. Lendo teus textos, as palavras implodem dentro de mim. Leio, vivencio, e algo fica em mim. É uma identificaçäo de sensibilidades impressionante.

    ResponderExcluir