quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Confessionário dos Anjos - Anjo luz

No queimar das minhas asas me confesso um Anjo em brasas. Com meus olhos ardendo em chagas enxergo na dor dos outros a minha própria alma. Diante de cada sofredor ofereço em silêncio o que me falta, o alivio através do amor para os que superficialmente protegidos em suas cicatrizes e máscaras infinitamente deformados se maltratam. Minha condição involuntária não possui outra opção que não seja a de voar na direção das pessoas que solitárias anseiam abrandar o efeito devastador da vida que injustamente as dilacera sem paz e calma em uma tortura que enquanto não as mata leva consigo a esperança que alicerça as últimas gotas de uma coragem que ainda está secretamente quase intacta. Sou o Anjo consolador das feridas alucinadas daqueles que jogados na sarjeta pela ausência de doces palavras para o abismo o desamor arrasta, dos que mergulhados no lodo do ódio se afogam no oceano podre da sua própria desgraça e dos que morrem vivos quando se veem adormecidos no labirinto indefinido das suas concretas envenenadas mágoas. Sou aquele que em uma luta inglória e ingrata quase que diariamente salva os que inconscientemente se deixam entregues a sentimentos que abertamente seus corações violentamente de insegurança esmigalham durante estúpidas revoltas enlouquecidamente sangrentas e ácidas que cegam de pesadelos a razão das suas existências atormentadas. Iluminando trevas escureço noite as minhas lágrimas. Meu corpo jovem esconde o desespero com que a eternidade faminta e insaciável de calor me rasga. Sempre entrego meu abraço a quem nunca me abraça. Minha missão é a de resgatar pessoas que não querem ser resgatadas. Eu salvo. Nunca ninguém me salva. Confesso, sou o Anjo que desejava. Ter.

4 comentários:

  1. Magnífico. Vou compartilhar no face! bjs

    ResponderExcluir
  2. Hey, és um anjo poético... sempre pronto a emendar abraços, versos e voar. Ave Poesia!

    Um beijo grande, bom dia e seguimos!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, que triste...
    Profundo e belo!
    Obrigado por compartilhar!
    Abraço!

    ResponderExcluir